Sensibilizar-se

Na vida sem parada de hoje, cada hora do dia tem de valer por três. Produtividade é a palavra de ordem, dentro e fora das fábricas. Mais fora delas que dentro.
Seria um pedido impossível, além do alcance, parar um pouco e observar todo esse frenesi, toda essa empolgação que frequentemente é vazia de sentido?
Silenciar, olhar e refletir são atividades desvalorizadas atualmente. Por quê? Culpa de quem? Nossa, talvez. Vale a reflexão.
Vale também sair das carapaças, parar de olhar para os objetivos à frente e sentir a luz do Sol iluminando e aquecendo, embelezando a criação, vivificando o mundo.
“Cerebrar” é deixar os pés descansarem e usar a mente, expandir, ver além. Ou ver aquém. No curto prazo. No agora.

Filosofar é refletir consigo mesmo questões relativas a consigo mesmo.
É sempre buscar um porquê para tudo, satisfazer-se em saber, mas nunca estar satisfeito com a resposta final, já que ela não existe.
Filosofar é mirar a essência, a finalidade, o princípio.
É cogitar sem nunca alcançar.
É pensar sobre o tudo e sobre o nada.
É pensar.

Quando estamos solitários, olhando para o espelho, filosofamos.
Quando estamos igualmente sós, mas olhamos pela janela, enxergamos conglomerados de pessoas, vivendo e convivendo, partilhando e compartilhando, batendo e debatendo.
Relações entre nós e os outros, entre os outros e eles mesmos, são tão complexas que merecem um capítulo a parte na nossa cabeça.
O homem é um animal duplo: age de determinada maneira quando está só e se transforma quando se vê junto à matilha.
Estudar a matilha dos lobos-homens: isso é “sociologar”.

Salve o Patriarca! Salve o Imperador! Salve o Rei! Salve o Presidente!
Passam séculos e mais séculos e sempre temos alguém (ou vários alguéns) com a responsabilidade de cuidar de todos. Em outras palavras, colocar um pouco de ordem no caos.
Eles sempre foram sobre-humanos, super-heróis, imbatíveis, inalcançáveis. Mitos. Mas nunca fizeram seu papel direito.
O “homem do povo” não é nada mais que um homem.
Política. Um mal necessário. Será?

Somos livres. Ó liberdade, quão bela sois. Mas acaba onde começa a incomodar o próximo.
– Ah, mas um pouquinho mais pra lá ele não vai reclamar. – Diria o aproveitador.
Cada um no seu quadrado, juntos numa régua daquelas de primário, cheia de formas geométricas, cuja marcação tende ao infinito.
Todos juntos, felizes, respeitando uns aos outros em prol do bem comum.
O Manual da Ética, tão belo mas tão distante da natureza humana.
É real ou utopia?

O homem pode dominar a natureza em todos os sentidos: represar o mar, desviar os rios, bloquear os ventos, derrubar as árvores, derreter os polos, domesticar os animais; e isso ele faz com maestria.
Mas ainda há um campo desconhecido e, creio eu, eternamente misterioso para a ciência. O produtor de todas as sabedorias, à exceção de uma, é uma massa cinzenta, sujeito principal desse site: o cérebro.
Um amontoado de neurônios, de uma complexidade sem comparação. Tentar entendê-lo é pretensão demais, mas é necessário para um auto-conhecimento razoável.
Salve o psicológico e seus poderes!

Mas de que vale analisar todos os aspectos do cotidiano, da nossa intimidade, do comportamento dos homens, sejam eles anônimos ou públicos, justos ou injustos, de toda a vida, a ciência, a beleza, se não há um porquê em tudo isso?

O porquê de estarmos aqui, para onde vamos, o que temos de fazer, quem nos fez, quem nos faz, quem nos fará, a grande resposta, que subjuga todas as outras, está na religião. Está em Deus.

Tem gente que discorda. Paciência.Tomara que um dia percebam a magnitude do infinito.

Anúncios
Explore posts in the same categories: Viagens

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: